3 Fracassos do Google nos últimos 20 Anos

Google

Nos últimos 20 anos o Google teve vários fracassos aqui listamos 3 dos maiores e que mais perderam dinheiro.

1 Google Glass

Um dos fracassos mais icônicos do Google certamente é o Glass: os óculos de realidade aumentada prometiam um futuro brilhante em que informações do mundo virtual se misturavam ao real, mas, na prática, o aparelho não servia para muita coisa.

O Google Glass tinha um hardware bem básico e uma proposta simples: a partir de uma das lentes dos óculos, o usuário poderia checar informações do mundo ao seu redor com acesso à internet: olhe para uma placa quando estiver em uma viagem e confira a tradução direto na tela do Glass.

Apesar de todos os esforços do Google, o Glass não agradou. Ele era caro quando foi lançado (US$ 1,5 mil por uma versão de testes) e logo se mostrou pouco útil.

Depois do barulho inicial, o produto foi sendo esquecido, até que o Google mudou sua abordagem. O Glass Enterprise Edition, lançado em 2013, era voltado para profissionais de áreas bem específicas que podem se beneficiar dos dados em tempo real que os óculos oferecem. Para o público geral, no entanto, ele não serve para quase nada.

Google Video

Concebido na mesma época do YouTube e com uma proposta similar – uma plataforma para usuários enviarem e compartilharem vídeos próprios -, o Google Video não precisou de muito tempo para perceber que o fim estava chegando: ele foi lançado em janeiro de 2005, e em novembro do ano seguinte o YouTube foi comprado pelo Google por US$ 1,6 bilhão.

A aquisição de um rival que se tornou mais popular é um sinal claro de que um serviço está fadado ao fracasso. O Google Video resistiu por algum tempo depois: ele aceitou novos envios de usuários até 2009, e foi definitivamente desativado em 2012.

Hoje em dia até existe um “Google Video”: é uma versão do motor de busca adaptada para vídeos, que consegue buscar conteúdo mesmo fora do YouTube.

Nexus Q

 

Uma das primeiras investidas do Google no mundo do hardware não chegou nem a ser vendida em lojas. O Nexus Q foi apresentado em 2012 como um “reprodutor de mídia social”, mas acabou sendo abandonado pouco tempo depois sem nunca ter sido enviado a compradores e foi abandonado de vez em janeiro de 2013.

O Nexus Q era uma espécie de set-top box dedicado à internet: ele podia transmitir vídeos do YouTube na TV, assim como filmes e séries adquiridos pela Play Store. O dispositivo também funcionava como um alto-falante para reprodução de música. Ele deveria custar US$ 299. Parte do seu conceito foi reaproveitado no Chromecast, lançado no ano seguinte.

Compartilhe
0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *